terça-feira, 11 de setembro de 2012


COMENTANDO O PROGRAMA DE CULTURA DA MÁRCIA-1:
A VERDADE ENFÁTICA DO GESTO
Faço questão de comentar aqui o programa de governo da Márcia Lopes para a Cultura. Antes de falar das propostas, chamo atenção para duas coisas: a primeira é que o Programa de Governo da candidata está sintetizado em um pequeno livreto de bolso, distribuído aos eleitores e disponível nos comitês regionais da campanha e numa barraquinha montada no Calçadão. O eleitor pode levá-lo consigo, consultar e discutir. Tornar o Programa de Governo conhecido é um gesto de respeito, bem diferente de materiais meramente publicitários.
Segundo fato: nesse livreto, a parte dedicada às propostas culturais é aberta por uma frase de Márcia, que ouvi a candidata repetir várias vezes em reuniões onde discutimos o assunto: “A cultura está presente em todos os momentos e aspectos da vida das pessoas. Por isso ela tem que fazer parte de todas as políticas públicas que vamos implantar”. Essa é uma consciência antropológica da cultura. Como lembra o historiador Peter Burke, “hoje (...) seguindo o exemplo dos antropólogos, os historiadores e outros usam o termo “cultura” muito mais amplamente, para referir-se a quase tudo que pode ser aprendido em uma dada sociedade – como comer, beber, andar, silenciar e assim por diante”.
Nos bairros pais e mães solicitam oficinas culturais para crianças e adolescentes. Sabem que a satisfação criativa e a capacidade de expressão são alternativas saudáveis, que estruturarão positivamente as vidas de seus filhos e os afastarão da violência. Não por acaso atividades culturais são tão bem-vindas nas escolas, como aberturas para as leituras de mundo e para a imaginação dos estudantes. Elas renovam o ambiente educativo.
Com esse reconhecimento da presença da cultura na vida, Márcia aponta que as ações de cuidado social, de segurança, de saúde e as de caráter educativo também vão contar com as potências criATIVAS da arte e da cultura. Igualmente sinaliza que os recursos destinados à cultura se ampliarão para além do orçamento específico dessa pasta.Muitas pessoas comentam que os candidatos se parecem e buscam agradar. Acho que não. Observando atentamente, as diferenças são gritantes. E as verdades se revelam mais ainda nos gestos.

2 comentários:

  1. Ô, criatura, mas cadê os comentários sobre o programa em si? rs Sonia Weil

    ResponderExcluir